quarta-feira, maio 28, 2008

Células Troco: Uma discussão enfadonha

O Reinaldo Azevedo publicou um texto do Ives Gandra

Comento abaixo:


A discussão sobre células troncos no Brasil é deprimente.

Por um lado os religiosos, como o Ives Gandra, tentam construir argumentos técnicos baseados em crenças pessoais. É algo muito enfadonho, puro sofisma, pois se ignora todos os argumentos contrários a tese defendida pela a igreja e se repete ad infinitum argumentos furados, a esperança é conseguir alterar a realidade repetindo pelo discurso. Exemplo de argumentos errados:

1) O desenvolvimento fetal é um processo, o que é verdade para um feto de 8 meses, não é verdade para um de 4 meses e muito menos para um embrião de 1 semana, a diferença esta tão bem estabelecida que se usam nomes diferentes: feto é uma coisa, embrião é outra. Até a Gisele Bunchen consegue perseber essa diferença.

2) Apesar de muitas pesquisas estarem sendo feitas com células tronco adultas, esta bem estabelecido que elas não são equivalentes as células tronco embrionárias. O potencial das células tronco embrionárias só será estbelecido quando elas foram estudadas.

3) Os EUA não proíbem a pesquisa com células tronco!!!!!! O governo Bush, cedendo a pressão da ala mais tacanha dos EUA proibiu o financiamento público de pesquisas com células tronco embrionárias.

Do outro lado a pesquisa científica no Brasil é desorganizada e puverizada de forma que cada cientista é um pequeno feudo. Não existe massa crítica para gerar resultados práticos significantes.

Permitir a pesquisa com células tronco é principalmente um marco civilizatório, pois é uma afirmação da separação entre o estado e a igreja, algo que no Brasil esta muito distante de acontecer.