terça-feira, outubro 06, 2009

Comércio local

O curso foi bastante puxado, das 8h30 am até as 6 pm, com pausa de 30min para o almoço e dois breaks de 15min. Eles encomendaram uns kits de lanche para as pessoas e agente comeu na sala do curo mesmo. Mas hoje foi um schedule mais apertado, amanhã vamos almoçar na cafeteria da Applied.

Hoje de noite eu fui até um centro de compras perto do hotel chamado Bridgepoint. Não é um shopping, é um conjunto de lojas enormes que compartilham um mesmo estacionamento gigante. A maior loja é o Home Depot - loja de artigos para casa, equivalente ao Leroy Merlin - mas também tem Pet Shop, farmácia, loja de brinquedos e de roupas.

No Brasil o centro do consumo é o supermercado, todas as outras necessidades domésticas estão condicionadas à necessidade de comprar comida, já nos EUA o centro do consumo é a casa, ou seja, das 3 necessidades básicas de sobrevivência nós ainda estamos brigando com a primeira, enquanto que os americanos já resolveram a questão de conseguir comida, eles se preocupam mais em conseguir abrigo.

Falando em comida, a comida aqui é bem barata, come-se em um restaurante por uns US$ 16. Ontem eu comi um (big) sanduiche de rosbife, uma salada, uma (big) torta de berries e uma coaca (com direito a refil) por US$ 16,00. Hoje eu fui em um lugar bem bonitinho com boa musica tocando e uma garçonete simpática e paguei US$ 15 e pouco pela refeição mais a Coca. Eu pedi Porco com Barbequeue e uma salada verde. A garçonete trouxe um bom prato de folhas verdes com molho e crutons e um cesta com dois pedaços de pão de nozes com passas (ótimo, tipo o da Casa Suiça). Depois veio o prato: um pedaço de lombo com molho, purê de batata e vegetais. O molho era ótimo, picante no ponto certo e levemente adocicado, a carne era macia porém sem mais nenhum tempero além do molho. O purê era ok, mas os legumes eram uma merda, somente uns brócolis e uns pedaços de cenoura cozidos, acho que não tinha nem sal. Que falta que faz um alecrim e um pouco de azeite de oliva.

A garçonete foi muito simpática, na verdade todas as pessoas que trabalham atendendo o público são ótimas, todo mundo pergunta como está o seu dia antes de te atender, é atencioso e tal, não é que nem no Brasil onde você a moça do caixa te odeia. Perguntei para a garçonete como dar gorgeta, a regra que ela me disse é dar o dobro do imposto (que vem discriminado na conta) para a garçonete.