quarta-feira, agosto 06, 2014

Terrorismo energético

Devemos lembrar que a Dilma começou como ministra de minas e energia. Na sua eleição ela foi vendida como um especialista na área. Pois bem, se considerarmos a atuação como ministra e presidanta, temos  que ela conseguiu ao mesmo tempo:

1. Desestruturar o setor de Alcool, primeiro vendido como uma solução para o problema energético no mundo e depois apandonado pois ele desagradava ao Hugo Chaves.

2. Desestruturar o setor hidrelétrico, quebrando as regras do jogo para uma redução forçada na conta de luz. Isso afastou os investidores, exatamente em um ano de seca, onde o setor precisaria de mais investimentos.

3. Desestruturar o setor de petróleo. Diversas empresas vieram para o Brasil para investir na produção de petróleo, mas o governo do PT decidiu parar de licitar novas áreas e também mudar as regras no meio do jogo. Com o boom do gás de xisto e a liberação do mercado no México, as empresas que estavam no Brasil, simplesmente foram embora.

4. Afundar a Petrobrás. Principal beneficiária das novas regras para o Pré-Sal, a empresa foi obrigada a investir mais do que ela tinha capacidade, teve o seu faturamento prejudicado pelo congelamento da gasolina e foi obrigada a investir em projetos criminosos, como a refinaria de Pasadena e a Abrel de Lima.

A Dilma causame menos estragos quando era somente terrorista.