sexta-feira, agosto 12, 2005

Sin City


Sobre o filme Sin City:

Bastante erótico, extremamente violento, mas um filme imensamente romântico. Conta a estória de três personagens, homens violentos, que vivem no submundo, cercados de prostitutas e renegados. Aparentemente nada mais não nerd, porém só na aparência. No fundo eles são pessoas com pouca habilidade social, íntegros e principalmente apaixonados. As mulheres pela qual eles se apaixonam são sexys, lindas e completamente fora do alcance desses heróis, que são de um romantismo que só existe para aquelas pessoas que passaram mais tempo lendo do
que realmente convivendo com outras pessoas.

Os vilões são os caras bem sucedidos, os mauricinhos, os caras que as garotas bonitas acabam ficando no final. Claro que eles as magoam, as ameaçam, e quem as salva são os heróis parias. Nerds bobos como eu se identificam com o herói, se apaixonam pelas mocinhas. Claro que no
final o herói nerd nunca, eu disse nunca, fica com a mocinha. Pois um final feliz estraga completamente a identificação do público com o herói, pois assim como os seus heróis os nerds nunca ficam com as mocinhas. Porque? A resposta é simples: O que realmente importa é muito menos do que nós nerds achamos, o que importa é só saber ter uma conversa amena em uma festa, conhecer lugares populares, ou saber dançar. Esse tipo de coisa não é fácil de se fazer, exige muita dedicação, mas se você está mais preocupado em adquirir cultura,
compreender o mundo, nunca vai conseguir fazer esse tipo de coisa direito.

A cidade também se adequa à visão de mundo de um nerd, injusta. Os nerds tendem a culpar o mundo. O mundo não é culpado, você nerd-boy que resolveu viver pelas suas próprias regras e tem que pagar o preço.