sexta-feira, julho 29, 2005

O suicídio

O homem quase inofensivo senta diante da sua escrivaninha no seu quarto de pensão e começa e redigir a sua carta de suicídio:

"Minha vida não fazia mais sentido. Todos me ignoram, nada que eu faço leva à alguma coisa. Há dois meses que o dono me pensão não me cobra o aluguel, acho que ele esqueceu que eu existo, era a única pessoa que ainda falava comigo. Escrevo esta carta final, mas acredito que nínguem vai ler ela."

Antes de continuar ele lembra que tem fome. Pensando bem, não deve ser legal se matar com fome, além disso ele aproveita para pegar uma faca na cozinha para poder cortar os pulsos. Chegando na cozinha ele encontra uma barra de chocolate mordida em cima da mesa. Não é legal pegar a comida dos outros moradores da pensão, mas como ele ia se matar mesmo não estava se importanto muito com reclamações futuras.

Ele come quase que a barra inteira. "Hmmm, chocolate", ele pensa. Ele pega a faca e volta para o quarto. Mas chegando lá ele muda de idéia. "Ainda estou com fome, acho que eu vou no habib's".