quinta-feira, setembro 01, 2005

Alila

Assisti ontem Alila do diretor Israelense Amos Gitai. Uma visão muito bonita do cotidiano de algumas pessoas, um casal divorciado com problemas com o filho, vizinhos brigando, imigrantes. Linda a cena em que a menina emigrante da Tailândia chora ouvindo um música do seu país, ou os pais com o filho de 18 anos no colo. Mas o que mais me chamou a atenção foi a estória de uma menina linda que tem um caso com um homem de meia idade casado. Ele é bem escroto e trata ela bastante mal, o que a deixa morrendo de tesão, uma arguta percepção da realidade, rsrs.

A cena de sexo dos dois no início do filme é excelente, uma das mais realistas que eu já vi no cinema. A maioria dos diretores tenta fazer cenas de sexo poéticas, estéticamente belos, só que esquecem de fazer cenas de sexo verossímeis. Para citar um exemplo recente, no Casa de Areia tem uma cena linda entre a Fernanda Torres e o Seu Jorge, o contraste da pela branca com a negra, a paisagem, etc, lindo, mas nínguem transa assim. Nesse filme não, transparece o tesão que os amantes sentem um pelo o outro: nos gestos, nos beijos e principalmente nos gemidos da atriz.